SC tem 8 novos casos e três mortes pela forma mais letal da meningite

0
87

O novo boletim da Dive-SC (Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina), divulgado nessa terça-feira (5), confirmou que houve oito novos casos e três novas mortes no Estado por meningite meningocócica – formal mais letal da doença. As informações foram atualizadas até 31 de outubro.

O ano de 2019 registra, até o último boletim, um total de 47 casos confirmados e 11 mortes causadas por meningite meningocócica.

Os oito novos casos registrados em relação ao último boletim foram em Biguaçu, Blumenau, Jaraguá do Sul, Palhoça, Pomerode, Passos de Torres e Taió.

Municípios em que houve registros da doença:

Em 2019, 33,3% dos casos se concentraram na faixa etária de maiores de 30 anos. A letalidade, no entanto, se apresentou maior na faixa etária de 10 a 14 anos e de 15 a 19 anos, com uma taxa de 50% em cada uma delas, seguida pela faixa etária em menores de um ano, com taxa de 43%.

As três últimas mortes confirmadas foram de uma professora de 36 anos, de Passos de Torres, uma mulher de 58 anos, de Blumenau, e um homem de 32 anos, de Biguaçu.

Subtipos da doença
Em relação ao sorogrupo da doença, o maior número de casos foi do tipo C, com 13 casos, seguido do tipo W, com 12 casos.

Os outros 22 casos confirmados de meningite meningocócica estão divididos da seguinte maneira: oito do sorogrupo B, 12 não identificados, e outros dois do subtipo Y.

Em relação à letalidade da doença, o sorogrupo que causou o maior número de mortes foi o W – foram quatro no total. Ainda houve três mortes provocadas pelo sorogrupo C, uma pelo B e outra pelo Y.

Mortes por meningite bacteriana, causada pela bactéria Neisseria meningitidis:

Mulher, 18 anos, residente em Lages
Bebê, 9 meses, residente em Jaraguá do Sul
Mulher, 12 anos, residente em Imbituba
Mulher, de 70 anos, residente em São José
Homem, de 22 anos, residente em Criciúma
Bebê, 7 meses, residente em Água Doce
Homem, 17 anos, residente em Brusque
Criança, 7 meses, residente em Criciúma
Professora, de 36 anos, residente em Passos de Torres
Mulher, de 58 anos, residente em Blumenau
Homem, 32 anos, residente em Biguaçu
Meningite meningocócica
A meningite meningocócica é a forma mais letal da doença e é causada pela bactéria Neisseria meningitides.

A doença pode ser transmitida pelas vias respiratórias e por gotículas e secreções do paciente, contato íntimo (residente da mesma casa, pessoas que compartilham o mesmo dormitório ou alojamento). A propagação também é facilitada em ambientes fechados e/ou sem ventilação.

Na população, encontramos um grande número de pessoas que tem o causador deste tipo de meningite na garganta, mesmo sem ficar doente ou apresentar sintomas.

Essas pessoas são chamadas de “portadores sãos” e transmitem a bactéria para outras pessoas pelo contato próximo (moradores da mesma casa, pessoas que compartilham o quarto ou que ficam diretamente expostas às secreções) e essas pessoas podem acabar desenvolvendo a doença. ( Por NDMais)

Deixe seu Comentário! Comentários de leitores ou artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião do G10News