Rio Grande do Sul tem mais de 2 milhões de empreendedores, aponta pesquisa do Sebrae

0
195
Segmento cresceu 26,3% no Estado no período de 2016 a 2018. (Foto: EBC)

Quem investe tudo na abertura de um negócio próprio faz parte de um grupo cada vez maior no Rio Grande do Sul. É o que revela uma pesquisa do IBQP (Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade) em parceria com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas).

O levantamento tem por base 2 mil entrevistas com indivíduos entre 18 a 64 anos, além de consulta a 17 especialistas. Entre 2016 e 2018 o número de pessoas envolvidas com alguma atividade empreendedora subiu de 1,9 milhão para 2,4 milhões, o que representa uma expansão de 26,3%. Esse contingente de gaúchos já abrange 4,5% do verificado em todo o País.

“Os números confirmam a cultura empreendedora do Rio Grando Sul e têm relação com o leve crescimento da economia”, ressalta o diretor-superintendente do Sebrae-RS, André Vanoni de Godoy, acrescentando que o gaúcho empreende mais por oportunida­de. “Em 2018, dois terços dos empreendedores iniciais afirmaram ter sido motivados pela identificação de uma oportunidade no mer­cado. Ou seja, para cada empreendedor por necessidade há dois por opor­tunidade.”

A análise mais aprofundada dos dados também permite identificar outras características de quem decide começar um negócio no Estado. No quesito escolaridade, o levantamento demonstra que daqueles que entendem o empreendedorismo como uma necessidade, 33,1% têm o ensino fundamental incompleto, 31,9% o fundamental completo e médio incompleto.

“Isso mostra que o empreendedorismo precisa estar mais presente nas escolas, incentivando os alunos a se tornarem empreendedores, percebendo nesta atividade uma alternativa de futuro profissional”, acrescenta o dirigente.

Sonho

Empreender continua ocupando o quarto lugar na lista dos principais sonhos dos gaúchos, somente atrás de comprar a casa própria, conhecer todo o Brasil e adquirir um automóvel. O potencial empreendedor, aquele que manifesta interesse em abrir o próprio negócio no futuro, subiu consideravelmente, passando de 13,8% em 2016 para 25,8% em 2018.

E o número de empreendedores gaúchos deve continuar crescendo. O estudo mostra que 25,8% da população adulta têm interesse em desenvolver-se como empreendedor. Em nú­meros absolutos, aproximadamente 2 milhões de pessoas vislumbram a possibilidade de em­preender nos próximos três anos, independen­temente de já possuírem, ou não, algum outro negócio.

Especialistas gaúchos ouvidos pela pesquisa apontam as condições necessárias para abrir e manter um novo empreendimento no Estado: dos entrevistados, 35,3% acredita na pesquisa e desenvolvimento, 35,3% na capacidade empreendedora, 23,5% nas políticas governamentais e 5,9% na abertura de mercado.

Já no que diz respeito aos fatores limitantes, a falta de apoio financeiro e de políticas governamentais lideram com 58,8%. A pesquisa também mostra que o empreendedorismo gaúcho é bem equilibrado em relação aos gêneros, sendo 44,1% dominado por mulheres e 55,9% por homens.

Abrir a própria empresa é um grande de­safio e, portanto, precisa ser encarado com responsabilidade. Além disso, a persistência, o planejamento e uma análise de riscos bem executada são fundamentais para o sucesso de qualquer iniciativa no campo do empreende­dorismo.

“Embora gigantescos, os desafios podem ser vencidos, e os números do estudo mostram isto”, enfatiza Godoy. “A recompensa, no final, é gratificante e realizadora. E o Sebrae RS coloca-se como parceiro dessa brava gente que vai à luta em busca de melhores condições de existência por meio do empreendedorismo.”

O Sul

Deixe seu Comentário! Comentários de leitores ou artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião do G10News