Planos de Saúde em Clínicas Médicas Populares

0
103
Pixabay

como o reajuste em planos de saúde, vinculado ao alto índice de desemprego, tem impactado nas demandas de clínicas médicas populares. Já é claro que este tipo negócio surge como alternativa para a população, que encontra problemas crônicos no SUS, como o longo tempo de espera, falta de médicos e de leitos, e tantos outros. A questão é: com o aumento da concorrência, as marcas precisam se reinventar!

Aqui na bcbiz, atendo a MedicMais, um exemplo para o assunto, já que inovou no segmento ao criar o programa ‘Mais Saúde’, que contempla plano de saúde e plano odontológico com mensalidades acessíveis – apenas R$39,00 e R$24,90 respectivamente -, garantindo ao paciente acesso a mais de 20 especialidades de serviços e desconto em exames.

Hoje a rede conta com mais de 40 unidades em funcionamento e mais de 100 unidades vendidas por todo país.

:: Abaixo apresento dados que comprovam tal realidade:

Recentemente, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) autorizou aumento de até 7,35% na mensalidade dos planos de saúde individuais ou familiares. Com isso, mais de 9 milhões de brasileiros que serão afetados com a alta dos preços, o que equivale a 17% do total de 47,01 milhões de pessoas com assistência médica no país. O restante dos consumidores conta com planos coletivos e empresariais, com porcentagem de reajuste que não é regulada pela ANS. Este é o 16º ano consecutivo que o reajuste fica acima da inflação do ano anterior.

Dados coletados pelo Ibope em oito regiões metropolitanas, incluindo Rio de Janeiro e São Paulo, indicam que 77% das pessoas veem o preço das mensalidades como impedimento para ter um plano de saúde. Além disso, o percentual de pessoas que já teve o benefício e perdeu chega a 54%.

Deixe seu Comentário! Comentários de leitores ou artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião do G10News