Navio em quarentena. Stress, ataques cardíacos e 135 pessoas infetadas

0
141
(CC0/PD) 3dman_eu / pixabay

As autoridades de saúde do Japão confirmaram, na segunda-feira, 65 novos casos de infeção por coronavírus a bordo do navio de cruzeiro Diamond Princess, elevando o número total de casos para 135.

O Governo do Japão anunciou esta terça-feira que vai permitir que passageiros mais velhos e pessoas que sofrem de doenças crónicas deixem o cruzeiro em quarentena no porto de Yokohoma, no qual, pelo menos, 135 pessoas estão infetadas com novo coronavírus.

De acordo com a agência de notícias japonesa Kyodo, essas pessoas podem desembarcar ainda durante esta terça-feira. Cerca de 80% dos 2.666 passageiros têm mais de 60 anos de idade, e mais de 200 passageiros têm 80 anos ou mais.

Até agora, as autoridades examinaram apenas 439 dos 3.711 passageiros e tripulantes a bordo da embarcação. As pessoas infetadas já foram levadas para centros médicos de Tóquio e de outras localidades próximas, onde estão a receber tratamento.

As autoridades sanitárias continuam a realizar exames médicos aos passageiros e tripulantes do Diamond Princess. Até agora, as autoridades centraram-se nas pessoas que apresentavam algum tipo de sintoma ou que mantiveram contacto com o passageiro identificado com coronavírus.

Certo é que não se vivem dias fáceis a bordo do navio de luxo. Os testes e a crescente contagem dos casos abalaram muitos dos passageiros que estão confinados ao Diamond Princess.

Uma reportagem do The Wall Street Journal dá conta de que examinar todas as pessoas que se encontram a bordo do navio “daria muita tranquilidade” e “eliminaria a ansiedade” que se faz sentir na embarcação. Kimberly Vincent, uma norte-americana de 73 anos, disse ao matutino que “algumas pessoas foram levadas para os hospitais por causa do stress e ataques cardíacos“.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) pediu na sexta-feira ao Japão que tomasse todas as medidas necessárias para acompanhar os passageiros do Diamond Princess confinados a bordo, incluindo medidas de apoio psicológico.

A epidemia provocada pelo coronavírus detetado em Wuhan já causou 1.018 mortos, dos quais 1.016 na China continental, onde se contabilizam mais de 42 mil infetados, segundo o balanço divulgado esta terça-feira.

ZAP // Lusa

Deixe seu Comentário! Comentários de leitores ou artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião do G10News