InícioInternacionaisÁfricaMigrantes são vítimas de abusos na Líbia, com registro de ao menos...

Migrantes são vítimas de abusos na Líbia, com registro de ao menos cinco mortes

Desde o começo do mês, ocorreram ao menos dois incidentes violentos no país, inclusive com mortes em virtude de disparos contra migrantes em fuga

O Escritório de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas) chamou a atenção, nesta quarta-feira (13), para os inúmeros casos de migrantes vulneráveis que são vítimas de abusos diversos por parte do governo e de representantes não-estatais na Líbia. Desde o começo do mês, ocorreram dois incidentes violentos, com a morte de ao menos cinco pessoas.

 

No dia 1º de outubro, em uma ação liderada pelo Ministro do Interior num acampamento informal próximo a Tripoli, homens, mulheres e crianças foram presos, incluindo civis já registrados na Acnur, a agência da ONU para refugiados. Os detidos foram encaminhadas a um centro de detenção com celas superlotadas e pouco acesso à água e à comida.

Imigrante brasileira morre abandonada no deserto dos Estados Unidos durante travessia

Segundo a porta-voz do Escritório, Marta Hurtado, as forças de segurança chegaram a bater nas pessoas que tentavam escapar e também dispararam contra os migrantes. Pelo menos um pessoa morreu, cinco ficaram feridas e mais de 4 mil foram detidas.

 

Já no dia 6 de outubro, 500 migrantes conseguiram escapar e foram seguidos por guardas que acabaram disparando vários tiros, matando pelo menos quatro pessoas. Posteriormente, o governo líbio reconheceu que as operações poderiam ter sido conduzidas de maneira diferente.

Também há casos de pessoas expulsas do país e enviadas para nações da África Subsaariana, em operações que o governo classifica como “combate ao crime”. O órgão da ONU, porém, destaca que o combate ao crime compreende “prender os traficantes [de pessoas], não os migrantes, que geralmente são também vítimas desses traficantes”.

Crianças em risco

Para Marta Hurtado, “essa série de eventos terríveis num período de apenas oito dias é apenas o último exemplo da situação precária e por vezes fatal enfrentada por migrantes e requerentes de asilo na Líbia”.

O Escritório de Direitos Humanos da Líbia apelou às autoridades do país para que libertem todos os migrantes detidos e acabem com as operações nos assentamentos.

O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) também alertou para o caso de mil mulheres e crianças que estão em centros de detenção em Tripoli. O grupo, que inclui cinco menores desacompanhados e 30 bebês, vive em condições desumanas, e os meninos foram incorretamente colocados em celas junto de homens adultos.

Conteúdo adaptado do material publicado originalmente pela ONU News

Fonte: A Referencia

Quer receber notícias do G10News pelo whatsapp? Clique aqui
Gostou desta notícias? Compartilhe nos botões abaixo!
LEIA TAMBÉM

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Publicidade

Mais lidas

Homem é preso por estuprar mulher inconsciente em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha

Agentes da Guarda Municipal flagraram um estupro de incapaz na Praça Dante Alighieri, no centro de Caxias do Sul, na Serra Gaúcha  nesta sexta-feira...

Saiba mais sobre fibromialgia

A fisiatra Dra. Luciana dotta dá mais detalhes sobre a doença A fibromialgia é uma doença crônica, ou seja, é uma dor que dura mais...

Itamaraty: governo acompanha “com preocupação” violência em Beirute

Seis pessoas morreram e dezenas ficaram feridas na quinta-feira   O governo brasileiro informou que acompanha “com preocupação” os atos de violência ocorridos na última quinta-feira...
Publicidade

Assine a nossa newsletter

As principais notícias do Portal G10News diretamente em seu e-mail: