Connect with us

Economia

Lojas têm sido cada vez mais o local de retirada de produtos apenas, afirma Thalison Borges, da Borges Eletromóveis

Publicado

em

O tempo de permanência nas lojas físicas tem sido cada vez menor, na avaliação de um dos administradores da Borges Eletromóveis, Thalison Borges. A rede é referência nos estados nordestinos do Rio Grande do Norte e da Paraíba em móveis e eletrodomésticos. As negociações são cada vez mais rápidas e as lojas, menos movimentadas. No entanto, as vendas continuam em crescimento e os vendedores com muito trabalho. Isso não é reflexo apenas da pandemia do novo coronavírus, que esvaziou as ruas, é também um comportamento que vinha sendo verificado ao longo dos últimos anos com o aumento de pessoas conectadas à internet. “Algo que venho achando interessante é que a venda no ponto físico não diminuiu, mas o comportamento do consumidor mudou. Antigamente o cliente chegava e olhava por horas todos os modelos, tirando as dúvidas. O que acontece hoje é que ele fecha tudo pelo mundo virtual e vai à loja apenas para ver o produto pessoalmente e pagar”, explica Thalison.

Nos canais digitais de venda do WhatsApp e do Instagram, o público já olha fotos e tira todas as dúvidas, como preço, formas de pagamento, medidas, cores disponíveis e todas as demais questões. Nisso, as negociações são realizadas virtualmente e o tempo na loja com o vendedor diminui, pois a pessoa já chega ao local sabendo o que irá comprar, “a venda começa na internet e é finalizada no ponto de venda, e isso não acontece apenas por causa da pandemia, tem sido algo crescente”, destaca o rapaz. Mudança verificada entre idosos também. A clientela da família Borges tem aumentado no mundo online, inclusive os mais velhos. Eles têm visto as vantagens de fazer uma compra sem sair de casa, no entanto, ainda não se sentem seguros na hora de realizar o pagamento, pois o fato de não serem tão familiarizados com as tecnologias, faz com que tenham medo de sofrer algum tipo de golpe. “A Borges não enfrenta barreiras no mundo online por ser conhecida e respeitada, mas ainda há clientes, principalmente idosos, que fecham tudo online e vão na loja apenas para passar o cartão, pois tem medo de fazer pagamentos online”, reitera. Thalison ainda destaca que, para ele, a tendência é essa: a loja virar apenas um ponto de retirada da compra.

Continue Lendo
Patrocinado
Clique para comentar

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Caixa paga R$ 600 nesta sexta

Publicado

em

Por

Créditos: Agência Brasil

A caixa deposita nesta sexta-feira, dia 25, o auxílio emergencial dos aniversariantes de setembro.  Serão pagas da primeira à quinta parcela no valor de 600 reais.

 

Quem recebe a quinta terá a última neste valor. A sexta parcela do benefício foi reduzida pela metade, 300 reais. O dinheiro será depositado nas contas digitais da caixa. Neste primeiro momento não é possível sacar, mas o beneficiário pode pagar contas digitais ou realizar compras em estabelecimentos que aceitam o pagamento por meio do aplicativo caixa tem.

 

O pagamento das parcelas de 600 reais encerra no dia 30 de novembro, depositando a quinta parcela dos aniversariantes de dezembro que estão no lote quatro do auxílio.

Continue Lendo

Economia

74 mil aposentados recebem atrasados

Publicado

em

Por

(Foto: EBC)

A justiça liberou mais uma leva de dinheiro para quem processou o INSS pedindo a revisão do benefício.

O conselho da justiça federal liberou mais de um bilhão e 200 milhões de reais que vai beneficiar mais de 74 mil aposentados. O pagamento das rpvs, as requisições de pequeno valor, são de até 62 mil e 700 reais para cada segurado. O recurso foi enviado para os tribunais regionais federais em todo país.

Cada corte tem autonomia para realizar um calendário de pagamento próprio. Por isso, para saber quando o dinheiro cai na conta, é preciso consultar o site do tribunal onde a causa foi julgada, ou consultar o advogado. Recebem nesta etapa quem teve a causa deferida em agosto deste ano.

Continue Lendo

Economia

Auxílio Emergencial começa a ser pago a beneficiários do Bolsa Família

Publicado

em

Por

Créditos: Agência Brasil

Concessão vai ocorrer de forma escalonada; governo ainda não divulgou calendário do pagamento para público geral

Até 30 de setembro, 1,6 milhão de beneficiários do Bolsa Família irão receber a primeira das quatro parcelas do lote residual do Auxílio Emergencial. Essa etapa da concessão do benefício refere-se ao pagamento de R$ 300. Para mães chefes de família, o valor será de R$ 600.

A concessão do lote residual do Auxílio Emergencial aos beneficiários do Bolsa Família ocorrerá de forma escalonada, conforme o Número de Identificação Social (NIS). Os primeiros a receber o benefício são os que têm o NIS com final 1 e os últimos serão àqueles que possuem o NIS com final 0.

Passados seis meses da pandemia, o secretário-executivo do Ministério da Cidadania, Antônio Barreto, alega que o novo coronavírus ainda tem causado danos à renda familiar dos brasileiros e que a prorrogação do benefício visa justamente minimizar esses transtornos.

“O intuito é que essas pessoas tenham essa proteção financeira nesse momento da pandemia, pois ainda estão passando por um período frágil e difícil.”

Em 16 de setembro, o presidente Jair Bolsonaro, publicou o decreto que regulamenta a prorrogação do pagamento do Auxílio Emergencial por mais quatro parcelas de R$ 300. O documento estabelece novos critérios para ter acesso à ajuda residual. Pessoas que antes eram consideradas elegíveis, mas que adquiriram vínculo empregatício deixarão de receber o benefício.

Barreto explica que a publicação traz maiores esclarecimentos a respeito de quem têm direito ou não ao Auxílio Emergencial.
“Ficou claro que os detentos em regime fechado não têm direito ao auxílio, mas aqueles em regime aberto ou semiaberto podem receber o benefício. Brasileiros que moram no exterior não têm direito.”

O governo ainda não divulgou o cronograma do pagamento Auxílio Emergencial a quem não é beneficiário do Bolsa Família. O benefício já contemplou 67,2 milhões de pessoas, segundo o Ministério da Cidadania.

Reportagem, Paulo Oliveira

Continue Lendo

Newsletters

Receba as Notícias do Site direto em seu email! Cadastre-se gratuitamente:
Patrocinado
Patrocinado

Mais lidas da semana