Connect with us

Agronegócios

Liberação de compra de imóveis rurais por estrangeiros pode trazer investimentos de R$ 50 bi ao setor agroindustrial

Publicado

em

Estimativa é do autor do PL em discussão no Congresso, senador Irajá (PSD-TO). Segundo ele, região do Matopiba pode ser uma das beneficiadas.

O setor agroindustrial receberia investimentos na ordem de R$ 50 bilhões caso a legislação brasileira permitisse a compra ou arrendamento de imóveis rurais por estrangeiros. A estimativa é do senador Irajá (PSD-TO). Atualmente, apenas companhias nacionais com controle estrangeiro e empresas de fora com participação brasileira podem adquirir propriedades, desde que tenham autorização prévia do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

O parlamentar é autor de projeto de lei que pretende atrair investidores internacionais para estimular a economia no campo. O PL 2963/2019 foi apresentado no Senado e tramita na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). A norma prevê a autorização, dentro dos padrões estabelecidos, de compra e arrendamento de propriedades rurais brasileiras por pessoas físicas ou jurídicas de outros países.

“Os estrangeiros poderão ser bons parceiros na geração de empregos e de alimento mais barato para o brasileiro. Poderão abrir empresas nacionais e responder pelas leis brasileiras para que possam ajudar na criação de oportunidades e no desenvolvimento econômico do país”, argumenta Irajá.

Para o senador, a região do Matopiba pode ser beneficiada com a aprovação da matéria. A área que engloba os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia é apontada por consultorias como de grande potencial econômico no agronegócio, por conta da localização central. Um hectare de terra em Barreiras-BA, por exemplo, pode ser negociado por até R$ 18 mil, de acordo com a analista de mercado Leydiane Brito, da consultoria Informa Economics IEG/FNP.

“Muitas áreas do Matopiba são passíveis de exploração e, por conta disso, cresceu muito o número de áreas para exploração agrícola, nos últimos anos”, destaca Leydiane.

Imagem: Ítalo Novaes - Agência do Rádio Mais

O Matopiba tem topografia plana, solos profundos e clima seco – fatores, segundo a Embrapa, favoráveis ao cultivo de grãos e fibras, principalmente soja, arroz e algodão.

Tocantins possui 94 mil imóveis rurais cadastrados, o equivale a uma área total de 18,6 milhões de hectares. Outros 14,3 milhões de hectares ainda estão passíveis de cadastro. Os dados são do Cadastro Ambiental Rural (CAR), de maio de 2019.

O projeto

O PL 2963/2019 prevê a revogação da lei que regula a aquisição de imóvel rural por estrangeiros (Lei 5709/1971) e legitima as aquisições e os arrendamentos de imóveis rurais celebrados por pessoas físicas ou jurídicas brasileiras, ainda que constituídas ou controladas direta ou indiretamente por pessoas de outros países.

O texto limita a um quarto a venda da área rural e também restringe a compra direta de imóveis localizados no bioma amazônico. A proposta restringe ainda a compra de propriedades por estrangeiros em áreas de fronteira do Brasil, em uma faixa de 150 quilômetros das divisas.
Segundo o advogado do escritório Souto Corrêa, Ricardo Quass Duarte, as mudanças possibilitarão mais segurança jurídica aos estrangeiros.

“Muitos empresários, empresas e grupos internacionais estão aguardando algum projeto que mude a legislação. Já houve outros projetos no passado e esse vai justamente na linha do que essas empresas estão esperando – a flexibilização para as empresas adquirirem terras rurais”, avalia Corrêa.

Dados da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio, citados em estudo do Ipea, apontam que as restrições do governo sobre aquisição e arrendamento de terras agrícolas por empresas estrangeiras geraram, apenas entre 2011 e 2012, prejuízos de cerca de US$ 15 bilhões ao agronegócio do país.

Agronegócios

INDICADORES: Após sequência de alta, boi gordo apresenta queda no preço nessa quarta (18)

Publicado

em

Por

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial não teve variação

A cotação da arroba do boi gordo começou a quarta-feira (18) com queda de 2,59% no preço e o produto é negociado a R$ 199,40 em São Paulo. Em Goiânia, o produto é vendido à vista a R$ 188. Já em Barretos e Araçatuba, em São Paulo, a arroba é comercializada a R$ 200.

O preço do quilo do frango congelado não sofreu variação e o produto é vendido a R$ 4,90. O preço do frango resfriado também não teve variação e a mercadoria é comercializada a R$ 4,92.

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial teve alta de 0,69% e o produto é negociado a R$ 8,77. Em Minas Gerais, o suíno vivo é vendido a R$ 5,89. No Paraná, o produto é comercializado à vista a R$ 5,59. Os valores são do Canal Rural e Cepea.

Continue Lendo

Agronegócios

Manejo de resistência é destaque da UPL no SuperAgro, em Londrina (PR)

Publicado

em

Por

A UPL, uma das cinco maiores empresas de produtos agrícolas do mundo, apresenta suas soluções para o manejo de resistência nas culturas de soja, milho e trigo, durante o SuperAgro, entre os dias 21 e 23 de janeiro, em Londrina (PR).

“Essa feira reúne importantes produtores do norte do Paraná e do sul de São Paulo. Apresentamos a eles tecnologias que agregam valor e inovação para suas lavouras”, destaca o desenvolvedor de mercado da UPL na região, Armando Sorace.

Entre os destaques da UPL no vento estarão o herbicida Select One Pack, com formulação especial para combater as plantas daninhas mais resistentes, e o fungicida Unizeb Gold, um dos grandes sucessos de vendas da UPL em todo o território brasileiro.

“Especialmente desenvolvido para o cultivo de soja, Unizeb Gold detém liderança conquistada com produtividade. Esse produto está presente na agricultura brasileira há cinco safras, já tendo tratado com sucesso mais de 95 milhões de hectares”, explica Sorace.

Sobre a UPL

A nova UPL é líder na cadeia de produção de alimentos global e, com a aquisição da Arysta LifeScience, torna-se uma das 5 maiores empresas de soluções agrícolas do mundo. Com receita de aproximadamente US$ 5 bilhões, a nova UPL está presente em 76 países, com vendas para mais de 130. A empresa conta com mais de 10.800 pessoas em todo o mundo. Com acesso ao mercado global para a cadeia de alimentos e focada em regiões de alto crescimento mundialmente, nosso objetivo é transformar a agricultura através do propósito OpenAg, uma rede agrícola aberta que alimenta um crescimento sustentável para todos. A nova UPL oferece um portfólio integrado de soluções agrícolas patenteadas e pós-patente para diversas culturas, incluindo produtos para proteção de cultivos, soluções biológicas e tratamentos de semente para toda a cadeia. Para mais informações sobre a nova UPL, visite: https://br.uplonline.com.

Continue Lendo

Agronegócios

INDICADORES: Boi gordo começa a segunda (20) com alta no preço

Publicado

em

Por

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial sofreu queda é negociado a R$ 9,01

A cotação da arroba do boi gordo começou a segunda-feira (20) com alta de 0,18% no preço e o produto é negociado a R$ 192,50 em São Paulo. Em Goiânia, o produto é vendido à vista a R$ 179,50. Já em Barretos e Araçatuba, em São Paulo, a arroba é comercializada a R$ 191.

Crédito: Italo Novais (Agência do Rádio Mais)

O preço do quilo do frango congelado não sofreu variação e o produto é vendido a R$ 5,31. Já o preço do frango resfriado subiu 0,59% e a mercadoria é comercializada a R$ 5,15.

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial teve queda de 0,55% e o produto é negociado a R$ 9,01. Em Minas Gerais, o suíno vivo é vendido a R$ 6,28. No Paraná, o produto é comercializado à vista a R$5,70. Os valores são do Canal Rural e Cepea.

Continue Lendo

Newsletters

Receba as Notícias do Site direto em seu email! Cadastre-se gratuitamente:
Patrocinado
Patrocinado

Mais lidas da semana

Notícias no seu WhatsApp whatsapp