Connect with us

Destaque

Itália cortou na saúde e já não tem ‘armas contra coronavírus’, desabafa italiano infectado

Publicado

em

Um escritor conta sua experiência em um hospital em Itália em meio à pandemia do novo coronavírus no país. Agora isolado em casa, diz que “é uma febre muito má”, mas decidiu lutar.

Gianni Bandiera, um escritor italiano e funcionário de laboratório hospitalar, deu uma entrevista à Sputnik Itália relatando como foi recentemente infetado com o novo coronavírus.

Quando questionado sobre como isso aconteceu, diz: “Eu trabalho no hospital em Parma [norte de Itália], por isso provavelmente poderia ter ficado exposto lá.” O teste da COVID-19 depois deu positivo.

“Eu costumava trabalhar no laboratório que faz testes bacteriológicos de zaragatoa. Mas o problema não era com os testes, porque não era eu que os fazia. O problema era que éramos quatro em uma sala pequena.”

Bandiera diz que na manhã do dia da entrevista não se sentiu com febre, ao contrário do dia anterior, quando se sentiu “muito doente, e também psicologicamente”.

O escritor relata que a Itália tem cortado nos cuidados de saúde desde há anos, por isso, “agora que a ‘guerra’ rebentou, já não temos armas contra este vírus”. Ele mesmo trabalha em um hospital, e diz que lá só ficam pessoas com problemas pulmonares, ao contrário dele, que tem febre e tosse.

Como trabalhador de laboratório infetado, é obrigado a ficar em quarentena, o mesmo se aplicando aos companheiros do hospital. Houve muitos médicos que contraíram a COVID-19, mas alguém tem de cuidar dos doentes, por isso o pessoal médico fica excluído dessa regra, conta à Sputnik.

“Estou recebendo uma chamada do serviço de inspeção sanitária para saber do meu estado. Eles deviam ligar-me todos os dias, mas não ligam. Eles abriram uma linha de apoio psicológico porque estamos trancados sozinhos com febre alta”, diz Gianni Bandiera.

O entrevistado não consegue oferecer uma estimativa sobre a duração da doença no seu caso, referindo que não a teve durante 40 dias, mas depois voltou. Segundo o que lhe disse o serviço de saúde, algumas pessoas têm febre durante 20 dias.

O dia a dia dele

Devido ao seu atual estilo de vida recluso, seu irmão traz-lhe produtos. “Todos meus amigos me ligam, mas fui eu que me desliguei porque não tinha energia e estava com o moral em baixo.”

Em relação à pergunta se consegue se distrair com alguma coisa hoje, diz que não tem capacidade para ler livros ou ouvir música, afirmando que os “que normalmente leem muito, agora leem muito pouco porque o cérebro não funciona”.

“É uma febre muito má”, diz ele à agência. No entanto, ele não planeja continuar cabisbaixo.

“Ontem à noite decidi lutar, ser positivo e não ficar mais com raiva”, disse Bandiera. Ele planeja fazer “uma grande festa” assim que recuperar.

O escritor afirma que “o planeta está resistindo” contra a degradação do ecossistema, e que estamos “enfrentando as consequências”. Ele crê que vacinação contra o SARS-CoV-2 deveria ser obrigatória.

A Itália registra 86.498 casos do novo coronavírus, 10.950 recuperações e 9.134 mortes desde que a pandemia começou se espalhando no país.

//Sputniknews

Destaque

Caixa justifica auxílio emergencial negado

Publicado

em

Por

Quem teve o auxílio emergencial de 600 reais negado ou ainda não recebeu uma resposta do governo poderá saber com mais detalhes o andamento do benefício.

 

Está disponível dois novos canais para consultar o auxílio emergencial. Os sites são: consultaauxilio.dataprev.gov.br e www.cidadania.gov.br/consultaauxilio.

Na nova plataforma será possível acompanhar as datas de envio dos documentos e de recebimento por parte do governo. Quem teve o auxílio emergencial negado poderá saber por qual motivo. No site será preciso informar o número do cpf, o nome completo, nome da mãe e a data de nascimento.

 

Quase seis milhões de brasileiros estão com o auxílio emergencial em análise. O governo havia estimado que o tempo de avaliação do benefício seria de até cinco dias, mas em alguns casos a espera tem durado bem mais. A caixa também informou que aproximadamente 12 milhões de pessoas terão que refazer o pedido do auxílio.

 

Este pessoal teve o cadastro classificado como inconclusivo, com erros no número de cpf e na identificação de dependentes.

Dos mais de 97 milhões de pedidos do auxílio emergencial, pouco mais de 50 milhões já foram concedidos.

Continue Lendo

Destaque

Trajetória e planos de Ricardo Fernandes Costa, do Reality Shark Tank Brasil

Publicado

em

Ricardo Fernandes Costa - Fotos: Acervo Pessoal / PCB & CCB News Assessoria - Divulgação

O advogado e empresário Ricardo Fernandes Costa sempre esteve conectado a tecnologia. Da mundo real para o virtual o jovem advogado dribla a crise prestando consultoria virtual solucionando problemas de brasileiros que residem em outros países! Com a  Pandemia Dr Ricardo cria conteúdos interessantes em suas redes sociais o que atrai clientes do mundo todo.

Após morar na China (2012-2016), voltou para o Brasil encantado com a Era Digital, o que o motivou colocar em prática sua experiência, atuando “fora da caixa” em conformidade a tecnologia para advogar virtualmente e expandir sua marca no país!

Na época o advogado empreendedor especialista em contratos  investiu em tecnologia para sua empresa de calçados obtendo destaque  nas redes sociais (através de vídeos próprios, propagandas animadas e muita criatividade em produtos personalizados) que o levou a participar do reality show Shark Tank Brasil (negociando com tubarões) em 2018 com sua marca Nous (registrada no INPI) gerando  grande notoriedade, destacando sua habilidade de negociar na televisão brasileira e na internet.

Ricardo Fernandes Costa - Fotos: Acervo Pessoal / PCB & CCB News Assessoria - Divulgação

Ricardo Fernandes Costa – Fotos: Acervo Pessoal / PCB & CCB News Assessoria – Divulgação

 

A marca Nous foi criada em meados de 2014 durante sua experiência na Ásia que o proporcionou viajar pelo mundo com seu conhecimento em contratos internacionais e sua inquestionável habilidade de um legítimo businessman da Nova Era!

Em 2019 resolveu entrar de cabeça no universo da advocacia, atuando do seu jeito! Driblando o pré-conceito por ter o corpo todo tatuado em um universo extremamente formal como o mundo jurídico, investindo  tempo e conhecimento para advogar no seu próprio estilo, aproveitando a tecnologia junto ao seu sangue de empreendedor prospectando clientes pela internet através das redes sociais (respeitando o Estatuto da Advocacia e da OAB e o Código de Ética do Advogado) destacando-se  pela sua experiência em negociar com tubarões, atraindo clientes de diversos lugares do mundo!

Atualmente trabalha em parceria com advogados em Portugal, empresários chineses e diversos advogados autônomos que buscam aproveitar o seu conhecimento e a experiência de sua atuação ímpar através de um olhar clínico e criativo na resolução de conflitos de forma extrajudicial, evitando  levar as discussões a justiça.

Ricardo Fernandes Costa - Fotos: Acervo Pessoal / PCB & CCB News Assessoria - Divulgação

Ricardo Fernandes Costa – Fotos: Acervo Pessoal / PCB & CCB News Assessoria – Divulgação

E por essa habilidade em realizar acordos poupando o poder judiciário de tempo e gastos públicos, que inúmeros escritórios também buscam essa consultoria especializada que merece destaque!

“Sempre acreditei em um mundo mais conectado! Podemos voltar no tempo e viajar para o futuro através de softwares, temos duas vidas onde atuamos simultaneamente no mundo real e virtual e isso vai estar cada vez mais presente na vida humana”, declarou Dr.Ricardo.

Seu mantra é gerar conteúdo para atingir milhares de pessoas (o mantra nos traz a possibilidade de nos concentrarmos ao máximo e tirarmos de nós mesmos as respostas que precisamos para nos permanecermos firmes, e adquirirmos sabedoria em todo nosso processo de vida). Com uma carreira sólida se destaca por ser um advogado moderno, descolado e requisitado por programas de TV.

Para acompanhar sobre sua carreira basta segui-lo nas redes sociais através do Instagram: @ricardonous

Fotos: Acervo Pessoal / PCB & CCB News Assessoria – Divulgação

Ricardo Fernandes Costa - Fotos: Acervo Pessoal / PCB & CCB News Assessoria - Divulgação

Ricardo Fernandes Costa – Fotos: Acervo Pessoal / PCB & CCB News Assessoria – Divulgação

Ricardo Fernandes Costa - Fotos: Acervo Pessoal / PCB & CCB News Assessoria - Divulgação

Ricardo Fernandes Costa – Fotos: Acervo Pessoal / PCB & CCB News Assessoria – Divulgação

Continue Lendo

Coronavírus

Coronavírus: morte por falta de UTI pode gerar indenização e pensão

Publicado

em

Por

Mário Oliveira/SEMCOM

Projeto apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) determina que, no período de emergência decorrente da covid-19, os herdeiros de pessoa falecida por falta de leitos de UTI poderão ter direito a indenização de R$ 60 mil por membro da família e a pensão por lucros cessantes.

Segundo o PL 2.033/2020, a indenização poderá ser paga a viúvos ou companheiros, filhos, pais e irmãos (incluindo netos ou avós, no caso de filhos ou pais pré-mortos), e o valor da pensão mensal será calculado pela média das últimas doze remunerações mensais do falecido, podendo ser acumulado com outros rendimentos e benefícios.

 

Ao justificar sua proposição, Randolfe lembra que a Constituição estabelece claramente a responsabilidade das pessoas jurídicas de direito público pelos danos causados a terceiros, ao mesmo tempo em que determina que a saúde é dever do Estado.

No entanto, o senador manifestou temor de agravamento da crise nos hospitais diante do maior número de casos de coronavírus e a consequente judicialização da responsabilidade por mortes por falta de atendimento: “O Brasil continua a curva ascendente de casos, ocupação de leitos e mortes, sendo, infelizmente, provável, que o pico da doença ainda ocorra durante os meses de maio, junho e até julho, a depender do local”, observou.

 

Randolfe entende que a nova lei, ao assegurar o ressarcimento às vítimas da “conduta ilícita da administração pública”, evitará longas esperas dos herdeiros pelo julgamento de ações indenizatórias e do pagamento dos precatórios e reduzirá os custos indiretos para o Estado “na medida em que deixarão de ser ajuizadas diversas ações sobre o tema”.

Fonte: Agência Senado

Continue Lendo

Newsletters

Receba as Notícias do Site direto em seu email! Cadastre-se gratuitamente:
Patrocinado
Patrocinado

Mais lidas da semana

Notícias no seu WhatsApp whatsapp