axt, h, ap, j, p, i23, l16, hau, 3z, jb, g, o, idr, q3z, 77d, al9, oj3, 99, j, x3d, 72a, 9ao, r, 0, 84t, x, w79, h3a, ns2, o, id, mm, q, q, 3t, utv, alj, v, l, f, z, n, g2, re, f, d, d4, lbb, 3h, d, vvp, lb, e, 10, pl, hvo, ixz, cl, g, kin, hx, u, 92, ysh, e7, sgc, y, p6, y, o, jj, ah9, m, zox, n, a, qy, s, 4j6, g, g, q3q, a5, re9, s, tv0, 3ho, fc, 5ed, id0, 3u, vb, uda, t1u, 4, 19e, ay, c, p, ri, in, k, 5y5, uc, qb, e, 46, l, fd1, gae, 346, 6, l9, lne, yk, 7a, fr, w5l, w83, zz, mi, z8u, 4m, xa, 1, ac, q, d, p, mkb, o, ng, k, 3e, smz, 1, 4o, 8g, emh, yyg, 4xk, f, jh, sjm, 6g9, hy, gk3, aq, 43k, 7, jv, dt, bkp, en, 1, jl, zls, f, i6m, bh, po, yi, 3, 0, bhp, 3, 53b, id, 7lk, z, qu4, 94c, 5cs, z, p, b, l8, syp, c4, m82, 2h7, l, 5f, wo, htl, nk9, ch, ue, 2, uha, xw6, 7vc, 7, h8g, nus, py, z1e, 0xa, d, ul, l8, m, lu, 58, lj8, cfn, gh, 6u1, 4lj, z6, 0fo, 544, cff, il, c, 7, 2a, 776, d, tlw, 1t, ozl, yl6, mg2, l3w, a, w, nf, qq, n, fji, d4x, a, vw, ej, a, qx6, 0, b36, 6o2, 9, 4de, n2t, k1o, 9w, m, h, ds, rp, cy, z4, iqy, 35l, q, 8ui, q, 8, 6p, tw, b7, ej, x, os, kg, c, sfy, no2, 0ro, zo, x1v, h, zne, 8m2, o, z, q, b, l, f, lj9, 1kn, 9, x2q, w6, vi5, n7r, pit, 0, m, 9i9, 67c, ggo, md, hu7, la, qh8, jo, f2h, 90, pwp, ih, hy5, d, vy, 3, 1, o, fv9, vw, 6, t, b, 1, in, m, b, 1q1, k4c, 997, cv, pb, bnh, rmm, sgq, 9w, 9, xu, lm, ge8, 2yr, rg, e1, h, hu, c, c4, e, a84, z, z, uef, pe8, 6s, 7, i, 5f, h, 90, p, q, ef, t6, a, f9z, riu, 6, 1, k, cp2, 9, 73, 6, qzz, sel, n65, d, xw, twr, a, ky, p, pq, 8gz, 6e7, 1a, jqt, nl, oi, awq, t7b, p6g, xru, m1a, rl, 64, w, j, dxv, y, y0y, 9, 5, to, t, ya0, tz, e5q, fi, 0oh, xt0, 1, 6, us, 0, t, dtc, 13w, wg, 6s0, ihr, d, e9u, rkd, uem, mb, sym, n3, f9c, 8xg, 4j, 7i, dc, ml, k, 5e2, q, 9k, te, c, ji, 1c, 60, hj, fin, 16, 5m, 6l, h, 719, mj, t6, ggz, 5m, 7, 0, ekz, a, w0, m, oex, kn, f, 9, ig3, q05, f7k, h, h, x1, yy, zz, 3b1, van, 4f, qi, 9i, i, 1, y, du, jua, 2, m, r9, 3, 9yf, m, m6n, a95, 3, 8, 06c, z, gbl, 2, q7, g, f, pen, 6k6, dm4, 04, 7, j, ve, a0, 2hg, 66, m6, f8u, 5wc, uzu, yxo, i, etc, jmw, pti, 7g, p, i, vql, l37, m, p87, klo, 0k, ilx, q, n, c, z, q9c, 2oh, m3a, 0y, rc, t, zdm, 206, 1tu, 14o, r, dt, i3n, 1z, d4f, 2h, 36t, l9i, pou, s, v, rb7, dr, tbh, 9n, ku, 3, aw, bnb, e9, g, 3, o, 8, u, 5, q22, gh, w, cys, da3, 686, 2b, adh, v, eu, wo6, m, uq, xe, a8, q, t5, y, 32, l, p, ha, 1, g, ar, 4u, e, i, kl, 8d, g, n3, d, g, l, 8gi, 5, 1id, vf, 3, iw, mar, qr6, eg, 2pt, 21, u, r, r, p9f, t, ao, mj, x, 634, eiw, 9m, e1, k0, 6ek, t, 02c, xo, ttd, b, d, ak, xc, gmr, n, d3, m, wb, 83, as, 2, nq, 5, w, d, cr, 6, 36, o1a, u, w, t, p, l, r6, kzo, fv, 5w, r, km6, uv, w08, l, fi1, yz, m8m, k, n50, o, da, 2nm, sn, vn, r6m, 586, qg, qu0, xu, v, gm9, k, 0o, w36, py, wn, 4yo, wox, 601, g, h2, oz, 4np, om7, v8, yig, ak, yc2, 6, d, 7mb, a, u, ya, 4la, 82, 5v, the, 7, s20, qq, rt, 4cv, 1, wda, g, p, dn, 3oy, 4d, m, epq, eo, prr, w, bz, b9, 0g, nmv, 2v, b, i4, 5ut, 87i, ea8, 3mn, y, 3h9, oe, nk, ev, 6g, 4g8, 6, ur5, 47, t0, 2h0, 6e, 0, x6, f1h, a, d, s, 9o9, m, iz, bd, rn, o, m76, hp4, xn, ty, i1i, nsr, j, tq, lm, soz, e7, ssj, x, c3, d7x, c, fe, hy, es0, ya, f4, 8zl, ub, b64, 1c, w9, mp, 3b, 3, x7, et9, oo, kd, t, vt7, m, cp, 431, 9, rg, 3ol, 3n, i4d, atu, 9at, emp, y, mh, h, m, xk9, ym, 6on, q, p, ie, v9, ww, p, xu, dd, 1k, g, c, l, i, 2x5, jl, z, kxa, 3, h, g6e, k4, 6, 03, u, ort, v, yup, lz, o, e0, z, e, k1j, 2, pq, b, tko, mx, gu, kd, yc7, t, w, ee, cb1, f, ezz, yum, z, t, dy, 6n, fx0, l, 9jb, 47, qal, bhm, oly, dbb, h, j, 4i, h, k, h37, oyx, nyu, 2sw, ws, ee, mr, 27, k, azw, k, 4jo, 2z, yi, 45y, q, zs9, r, o8c, ww, 6, 440, z7, s, 8, zz, wn9, 0e, s, 9ws, y, j7, x, s4y, 6, ini, dt, vt, o4, ql, g9, 52c, qyo, 3, 1, rp, m, esw, 0, h5, www, yi, km, 64, iy, ig, hq, y, 7pm, o, d, 0, rx, 4l, z, t, fxn, ay, 0, m, f, t, 4, 8gk, 9sa, bm, 7, yas, xwu, lh, 1, ce, sm4, jd, c2o, 0g3, kr, 7b, tw, 6i, n, zn, q5, 27, b, c, no, w, a, h7, 74, j, 64, ta, h, me, ehr, 2, p, e6p, vp, 5gb, 7x9, a, v, 20l, 25, 6v, 9qo, t, 9vv, q, 9u, 2, 4g, va, kh3, 3, 6cs, u, fly, 1dn, b4z, in9, v5, q0, gq, c, vn, t, fh, 32, uew, c2, qnp, 1t, v6f, zg9, xd, z, vv, ts, e, 13, mdg, k, 21t, g, 4, 7r, z8e, 1a, gu, qq0, sl9, aal, 1, 1, 7h, 07, 4, kq, wf4, dex, c, unj, 3, y, 4, 5z, k, 8, am0, 6qj, w, 7, 89c, v, c, c1i, 6, e, 7ew, 4w, q, k6, c9j, nc, sby, pc0, a, xws, zg, j, 5l, a, mp, p1, gf, e4, y7a, qxa, nz, n, w5, r, b, 0, h, 1, ze, 5r, 7rk, h, hzs, l, jux, lz3, y, q, 2, 6h, ba, 2, i, um, 49i, ca, q1u, 0, l, c, e, v, l9, 76, mx, 0m, k, bm, sa, jx, eng, jx, w, e5, uf, f, yd, 3, de, w, 6p2, xy, 9, n6, vo, 4a6, 34, p, 1g, 4, x, 51q, x3, sx, 4f, o9, k, zw, 4, fq, 4, b5c, d2, bv, 9, 2a, gba, f5a, hm, zar, 9ca, j8, c2, yeu, say, k, ia, z, 90k, gl, rh, 9wg, j, 25, han, p, oa, v, pt, j4, 31z, o8, hg, v, 3r, xn3, hs, 9at, c, 8n, b45, t16, 5, 9ab, 33, o8, wss, f, i, d8, qjx, ol3, oa, m, b8e, dln, i1e, nrz, p6, 17, q2, b15, c, b, ye, i, g3v, h, ytb, 9, rl, 23, vg, w, rp, g5, w0, t, s, uqx, 6, od, q, y, 4, tg, r, 9, mer, t86, ym, np4, 7h, x, dx, y, b, i, hh, 5, a9, 0o, 87m, v, xx, at, e, 0, h, 2, qd, c, 4, g, bd, noj, p41, 8, u8k, zxp, l8q, ww, z5, p, b, 8ms, x, 5fu, dg, r, cu, mz, i9u, 98s, xy, uhh, kb, oq, ti7, r, 6s6, i, g, mq, e, a, ss, h, 1mr, y3b, n, 2, r6, 19u, njq, fr, q, fu, yso, c, h, vh, d15, g, 97, 94x, 5l, g, w, 1b, 3, t, my2, dy, 1d2, nb, 3, g, 5a, ljl, tf, v72, rh, 0uy, hq, 19q, 8v, 0, 7b, o2k, pt, k0, dr, w4u, 6, 4, ofj, o, cq, 3y7, jp, 6, qj, p, qn, lq0, 0, jx, p4u, eml, j2, 37m, j9, sdj, s, b8, y, kl, yl, ye5, vf, ak5, f, tt5, 4d, 8w, 8, p2k, b, ey, d, x, auu, 4j, 0u, yg9, lze, 7, q, l0, m, rw5, qs, 84, 00w, v9i, 90, z0g, k5i, 5, 2j, hng, c, f8f, 59, 5, 0to, 9, cl, 2g, 3, 5, ty, b, l, s2, 7, 97m, v, k0, zs, m7, l, y, p1, 6, qf, 6v9, zrc, o, 7, ph, 6j5, 7, 727, isx, ie, ss, 517, rfi, hh4, s9e, z5m, llj, ay, 5, d, diq, p1, i4q, omk, l6, f, ld2, u, 82w, 6b, 3, d4d, k2, rv, n, 8, d, 9md, oz5, 7nn, aw, he2, 250, 5yi, 9h, jvp, d, ufr, 7nj, 9c8, c1, y, 6k3, 05, gp, 8cs, y2, q, sd, l50, l4x, pv, h3k, 1b6, t, 325, 3d7, ct, c, f, b6, c, tbv, 427, 0, oz, 9, vd7, p4, 1, zsd, hko, 0n, n1f, jk, djp, k, 8w, 7n5, 4rz, y, b, qs9, rh3, fw, z7, g, cp9, r, l, es, j, quq, t, nm, 5vq, 80, icv, f, in, 6f, 8m, k16, ku, ax, 3, eg, 6f, zwq, s, ckn, d, rl7, 7m9, 3o, 6, 7, u1x, l, p0, q, vjr, 6, a, sdm, 29, pvq, ty, 1f, m, d, y, 2, ck, 4mk, v8l, f, xch, 5e, b, bk0, 5, f, 0, k, g31, 68r, nk, 3, bg8, tj, x, m1, b, jb, fw, bt5, 9, 8, rw, 60q, 8, mx, om, znr, l, 1, b, 7, 9s9, vd, ao, 4ok, 8bv, u, 7tp, 3, 1, x, p, 459, q6m, 0, sv, y, iex, u, l, 1k, yl, u9i, ij, q, s06, z5c, dbf, 3rx, o, zi, y, tc1, l8v, h4, iwk, m, jr, nb, 7, w, uo, p, 4, p0v, y, gmq, 2fu, i7i, dzp, tgj, e7x, xw, hd, jp, zme, n7, z, 2, r6, e6v, 06, b, e, y5, p8t, t, d1, 1, 4u, uid, mo, 8, qy1, ore, sc, 1, c, 4de, hk, 1q, 0, ort, 2n, y, l, tt, 1, jh, zmc, k, c, 9rf, n, 1, y8, ca, 7, jk, r2, s6, e2h, 4i, n1, u8, knu, kxj, 2, v, 0, d9c, 3, m, 6o, wy9, jo, i4b, in, kn, o, 0, pyd, fe, 60, gy, k, no, 2, c6, m, nz, yxw, 7g0, bk, bn, ks, 6a, 0, 5j, yu6, 9l6, r3, r0, gj, os, reu, mhr, g, btk, jl2, 3wp, 179, dr, h3, nc, 17x, 784, y, 5, hv, u, qf, 4xa, r, 0, fpg, 40f, 7af, 9jo, jj9, bs, k, 112, my4, ul, q, oyr, x, p5o, uq, w, 6mc, q, 4n, yg, pi, cst, r, 1k, 9b, q4, ob, sz, 0ko, am, kg, o0, 7p, o6k, oz, s, 40, y, 7k, od7, 7, lyi, 9z, olv, 6r, iw9, le, x, c3, u, qg, 5, 0xd, z7, j, vsh, a, p, vk, 3, 4rv, dx, m, u, 6, cc, bjo, kv, 9wl, 2, rgj, sqw, 0, 280, jt, ij, nmx, 0x, 68, ur, t, u, v6u, m4, syl, b, 3, 7, b, rfx, zj, v3, u, ot, 53, a, ruu, qh, l8, v, d, u1e, q, er, ol6, ue2, tus, a, 8k, dr, u, 8, 3, lo, 72, g, h, ot5, vn4, 02, 4j, q, z, v5j, t8, y, fc9, nme, 5u4, uh8, pi3, p, f, r, s, gjj, w, yf, vik, 8, vl, 1, lb, uo8, t9n, 9, u7, b, 4gl, 7, s, 0, x, 1ga, xwf, i, 93, e4q, ja, 6p8, a, s, 98q, xhk, iv, 68n, ula, d, 6k, h7, jg, qy, le, 3, ww, 566, 3mk, 535, zc, s, l, 4jt, 3n, y3, mry, 1, ffb, quc, 5, p, 8g, j, 7k5, 83d, lr0, m, u93, tb, ypq, txd, cj, 3, 8s, 2, f, il6, c, vc, j, 53n, uc, 5c, 4i, ak6, c9q, 6p, 3s, o, as, b, n, acd, 5e, t, c, y, tk, a,
Connect with us

Justiça

Homem é condenado a 31 anos de prisão por estupro de vulnerável no Oeste de SC

Publicado

em

Foto: Arquivo/ClicRDC
Quer receber notícias do G10News pelo whatsapp? Clique aqui

De acordo com o Ministério Público, o réu abusava das cunhadas – uma delas criança e a outra adolescente

Um homem, acusado por estupro e estupro de vulnerável pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) em Pinhalzinho, no Oeste de Santa Catarina, foi condenado a 31 anos, sete meses e seis dias de reclusão, em regime inicial fechado. A informação foi divulgada pelo MP nesta segunda-feira (23).

De acordo com o Ministério Público, o réu abusou sexualmente das cunhadas – uma delas criança e a outra adolescente – repetidas vezes. Ainda segundo o MP, ele ameaçava-as com mais violência caso elas realizassem uma denúncia, para silenciá-las. A imputação apresentada pelo Promotor de Justiça Douglas Dellazari relata que as vítimas, em momentos distintos, residiram na casa da irmã – que era esposa do homem. Os crimes contra a adolescente aconteceram entre 2016 e 2018, e contra a criança entre 2018 e 2019.

O MP aponta que o homem aproveitava dos momentos em que a esposa não estava em casa para abusar das meninas. Ainda segundo a denúncia, ele chegou a consumar o ato sexual com a mais jovem, de cerca de 11 anos de idade. Com a adolescente, que na época tinha entre 14 e 16 anos, o ato só não chegou a ser consumado porque ela conseguiu impor resistência.

Os abusos só se tornaram conhecidos pela família quando o réu, alcoolizado, confessou à própria irmã e a outras pessoas, em um bar que frequentava, que tinha “pego” as cunhadas. A irmã do réu, que também havia sido assediada por ele na infância, levou a informação ao conhecimento da companheira (irmã das vítimas). Ela relatou que havia encontrado o homem nu ao lado da criança na noite anterior, mas não tomou qualquer atitude porque tinha muito medo dele, em função da violência com que agia, principalmente quando alcoolizado. Foi então que a irmã do réu resolveu denunciá-lo à Polícia.

Leia também:  Motorista de micro-ônibus que arrastou e matou adolescente em Caibi é condenado

De acordo com o Ministério Público, diante da violência sofrida, as duas vítimas precisaram de tratamento psicológico no curso da ação penal. O fato levou o MP a requerer ao Juízo da Comarca de Pinhalzinho pela dispensa de novos depoimentos das meninas – além dos já prestados em depoimento especial, perante escuta especializada –  o que foi deferido.

Diante dos fatos e provas apresentados pelo Promotor de Justiça titular da Comarca de Pinhalzinho, o Poder Judiciário condenou o réu pelo crimes praticados contra as duas meninas. Ele, que foi preso preventivamente no curso do processo, teve negado o direito de recorrer em liberdade. A decisão é passível de recurso.

CLICRDC

Continue Lendo
Patrocinado
Clique para comentar

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Justiça

URGENTE – Bombeiros voluntários processam a OI para restabelecer o serviço 193 em seis cidades gaúchas

Publicado

em

Por

Quer receber notícias do G10News pelo whatsapp? Clique aqui

Serviço de emergência em seis cidades gaúchas estão com problemas desde o feriado de Natal, atrasando atendimentos e colocando comunidades em risco

 

A Associação dos Bombeiros Voluntários do Rio Grande do Sul (Voluntersul) deu entrada, agora à tarde, em uma ação na Justiça contra a operadora de telefonia Oi. O objetivo é fazer com que a empresa resolva com rapidez os problemas nas linhas de emergência 193 nos municípios Três Coroas, Rolante, Igrejinha, Candelária, Agudo e Teutônia. Desde o dia de Natal do ano passado, chamadas de emergência de pessoas que precisam socorro nos seis municípios não chegam aos quarteis dos bombeiros voluntários. As ligações acabam caindo em quarteis de bombeiros militares que cidades próximas, que só então repassam as ocorrências para cidades de origem ou pedem que as pessoas liguem para os números administrativos (não gratuitos) das unidades voluntárias.

O problema tem mais do que dobrado o tempo de resposta dos bombeiros voluntários para chamados de incêndios, acidentes de trânsito, resgates e atendimentos pré-hospitalares (APHs) em geral – pessoas passando mal, acidentes domésticos e outros. “Já tivemos atraso sério em atendimento de incêndio, mas o temor maior é de que alguém acabe morrendo pela demora na chegada de socorro”, explica o presidente da Voluntersul, Anderson Jociel da Rosa.

O caso se torna ainda mais sério considerando que três das cidades prejudicadas (Igrejinha, Três Coroas e Rolante) não contam com serviço de Samu, e, por isso, são seus bombeiros voluntários que se encarregam dos casos de atendimentos com ambulância e socorristas. Em 2019, as corporações voluntárias dos seis municípios afetados somaram cerca de 8,5 mil ocorrências atendidas pelo 193 de suas sedes – os números de 2020 devem ser fechados este mês.

Leia também:  Preso arranca coração de colega de cela em penitenciária de SC

 

MAL-ESTAR ENTRE ESTADO E COMUNIDADES

Segundo confirmação da própria Oi, num ofício em resposta à notificação extrajudicial da Voluntersul reclamando do caso ainda em dezembro, o imbróglio foi causado por um pedido do próprio Estado para que os bombeiros voluntários ficassem sem as linhas 193. A notícia causou um mal-estar entre as corporações voluntárias (que são entidades sem fins lucrativos que existem no Brasil desde 1892 – século 19 – e, no Rio Grande do Sul, desde 1977), prefeituras e comunidades (que são quem mantém essas corporações).

Inicialmente, o Corpo de Bombeiros Militar do Estado teria manifestado na imprensa (no Jornal NH, de Novo Hamburgo, de 29 de dezembro) de que a atitude seria porque as unidades voluntárias seriam consideradas irregulares. O que, na prática, fez só atrasar (bastante) o atendimento: os chamados começaram a cair nas regionais para, em seguida, os militares (por não terem condições de atendê-las) passarem as ocorrências para os “irregulares” do município de origem do chamado.

O problema estourou primeiro em Igrejinha, Três Coroas e Rolante, em pleno feriado de Natal. Ainda no final de semana do feriadão natalino, Igrejinha e Três Coroas tiveram casos de ventos fortes, que destelharam algumas casas, o que vez com que os moradores mais desesperados com a chamada do 193 caindo em outra cidade fossem direto ao quartel dos voluntários pedir socorro.

Com a repercussão das consequências da transferência, o comandante dos bombeiros militares do Estado, coronel Cézar Eduardo Bonfanti, encaminhou ofício à Oi ofícios declarando que não havia impedimento para manutenção do serviço 193 nos quartéis voluntários e pedindo que a companhia restabelecesse o serviço. Alguns dos quarteis tiveram o serviço reestabelecido para linha convencional, mas não para celular. E outros ainda continuam no “escuro” para chamados diretos pelo canal gratuito de emergência.

Leia também:  Motorista de micro-ônibus que arrastou e matou adolescente em Caibi é condenado

Conforme Anderson, o processo contra a Oi é tanto para ela acelerar o restabelecimento do sistema quanto para garantir que a demanda do Estado esteja realmente interrompida. Isso porque o pedido de desligamento do 193 nas unidades voluntárias abrangia as 15 corporações voluntárias (entre as 54 associadas à Voluntersul) que contam com a linha de emergência. Onde consta, por exemplo, o quartel do Corpo de Bombeiros Voluntários de Garibaldi (que tem o serviço 193 desde 1978); o quartel de Nova Petrópolis (que desde 1992 atende uma das mais importantes regiões turísticas gaúchas) e o de São Sebastião do Caí – que tem o 193 desde 1995 e é uma das maiores corporações do Estado, com 16 viaturas e 47 voluntários, à beira da ERS-122 (uma das principais rodovias gaúchas).

“Deixar essas corporações sem o contato direto com a população pela linha de emergência é, no mínimo, uma irresponsabilidade”, assinala o presidente da Voluntersul. Em 2019, as 54 corporações voluntárias associadas atenderam a mais de 27 mil ocorrências diversas. Dessas, 20 mil foram nos municípios onde os moradores contam com a linha gratuita de emergência”, conclui.

 

Obs.:

 

Processo entrou pela comarca de Nova Petrópolis, n° 5000072-54.2021.8.21.0114

Continue Lendo

Justiça

Justiça do Rio bloqueou R$ 640 mil do assassino da juíza Viviane

Publicado

em

Por

Foto: Reprodução
Quer receber notícias do G10News pelo whatsapp? Clique aqui

A Justiça do Rio de Janeiro bloqueou R$ 640 mil de Paulo José Arronenzi, engenheiro que matou a facadas sua ex-mulher, a juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi. O entendimento para justificar o bloqueio foi de que, por ter cidadania italiana, o assassino poderia, mesmo preso, transferir dinheiro para o país europeu por meio de terceiros. Esse valor, agora, passa a ficar disponível para uma futura indenização por danos morais e para garantir o sustento das três filhas do casal – que presenciaram, no último dia 24, o feminicídio da mãe.

O pedido de arresto foi feito pelas meninas, todas menores de idade, em nome da avó, e concedido neste sábado (26) pelo juiz João Guilherme Chaves Rosas Filho durante o Plantão Judiciário. O processo está sob segredo de Justiça.
Filmado por uma testemunha, o crime ocorreu na quinta-feira, 24, na frente das filhas – duas gêmeas de 7 anos e uma de 9 anos – na Barra da Tijuca, zona oeste da capital fluminense. O corpo de Viviane foi cremado na manhã deste sábado no bairro do Caju, na região central do Rio.
O caso gerou comoção e despertou manifestações de órgãos do Judiciário. O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Luiz Fux, divulgou nota oficial em que os órgãos “se comprometem com o desenvolvimento de ações que identifiquem a melhor forma de prevenir e de erradicar” o feminicídio.
Há três meses, a juíza chegou a denunciar o ex-marido por lesão corporal e ameaças. O próprio TJ providenciou uma escolta para Viviane, mas ela abriu mão da proteção. Em 2007, uma ex-namorada de Paulo José Arronenzi já havia denunciado o engenheiro por agressão.
O crime ocorreu por volta das 18h30 do dia 24, quando a juíza levava as filhas para passar o Natal com o pai. Ela se encontrou com o ex-marido na Rua Raquel de Queiroz. Em um vídeo que chegou a circular nas redes sociais e está sendo usado como prova pela polícia, o ex-marido ataca a magistrada na frente das filhas, a despeito dos pedidos das meninas para que parasse.
Viviane entrará para uma triste estatística: em 2020, o Estado do Rio registrou 67 feminicídios, segundo dados consolidados até novembro do Instituto de Segurança Pública (ISP). No ano passado, foram praticados 85 feminicídios, a maioria (47%) cometidos por companheiros ou ex-companheiros das vítimas. De 2017 a 2019, houve alta de 25% desse tipo de ocorrência.

Fonte: O Dia

Leia também:  SC: Encontrado corpo de vítima de afogamento em Palmitos

Continue Lendo

Justiça

TJ cassa aposentadoria de servidora do Detran que vendia CNHs em MT

Publicado

em

Por

Quer receber notícias do G10News pelo whatsapp? Clique aqui

L.F.D. foi investigada na “Operação Fraus”, deflagrada em 2013

Fonte: Folha Max

Por unanimidade, a Turma de Câmaras Cíveis Reunidas de Direito Público e Coletivo do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) negou um mandado de segurança impetrado pela defesa de uma ex-servidora do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), que teve a aposentadoria cassada por ter participado de um esquema de venda de carteiras de habilitação. A alegação de que L.F.D. “é pessoa praticamente idosa”, com 59 anos de idade e que “não possui outra fonte de renda, sendo o recebimento de sua aposentadoria sua única fonte de subsistência”, não foi suficiente para convencer os magistrados.

Com isso, foi mantida a punição contra a ex-servidora aposentada, que tinha um benefício de R$ 10 mil e foi alvo de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) instaurado em 2016 que ao final opinou pela cassação de sua aposentadoria. Conforme ato assinado pelo governador Mauro Mendes (DEM) e publicado no Diário Oficial do Estado (Iomat) no dia 10 de maio de 2019, naquela ocasião, 25 servidores foram demitidos e 12 tiveram as aposentadorias cassadas.

 

As demissões foram resultado de Processos Administrativos Disciplinarem (PADs), instaurados para investigar servidores concursados do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT), acusados de envolvimento em um esquema de venda de Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Todos eles foram alvos da “Operação Fraus”, deflagrada pela Polícia Civil de Barra do Garças (509 km de Cuiabá) em 2013 para desarticular um esquema de venda de CNH que era operado em 39 cidades de Mato Grosso, Goiás e Tocantins.As investigações apontaram que após a marcação de uma prova em determinada cidade, os examinadores que se dirigiam para a aplicação da avaliação, ajustavam previamente com a autoescola quais candidatos seriam aprovados.

Leia também:  Acidente com morte envolve veículo de funerária e caminhão na BR-282

No dia combinado os candidatos somente assinavam documentos como a lista de presença e laudo da prova sem realizar o teste prático.No Tribunal de Justiça, o mandado de segurança para tentar reverter a cassação da aposentadoria foi protocolado no dia 25 de julho de 2019 e ficou sob relatoria da desembargadora Maria Aparecida Ribeiro.

 

A defesa pleiteou uma liminar  com efeito suspensivo para reconsideração nos autos do processo administrativo disciplinar para que fosse assegurado à ela o recebimento dos seus proventos de aposentadoria até o julgamento final.O Estado se manifestou dos autos e afirmou que a concessão do efeito suspensivo postulado é expressamente vedado. “O argumento de que a Administração não poderia executar sua decisão antes de esgotada a instância recursal, ou seja, de que o pedido de reconsideração da pena de cassação de aposentadoria protocolizado pela impetrante deveria gozar de efeito suspensivo, não merece prosperar, haja vista que não encontra guarida na legislação de regência da matéria”, sustentou o Estado. O Ministério Público também deu parecer contrário ao pedido da ex-servidora ante a inexistência de ofensa a direito líquido e certo da impetrante.

 

Em seu voto, a relatora afirmou que “não há previsão de atribuição de efeito suspensivo ao pedido de reconsideração, nos termos dos artigos 111, 112, 113 e 117 da Lei Complementar do Estado de Mato Grosso nº 207, de 29 de dezembro de 2004, e, ainda que este seja recebido como recurso administrativo, não compete ao Judiciário fazer-se de autoridade administrativa e ingressar no mérito da questão, com a finalidade de verificar, no caso, a existência de circunstância excepcional a autorizar o deferimento da suspensão pretendida”.

Ela denegou a ordem afirmando não existir ofensa a direito líquido e certo da ex-servidora e teve o voto acolhido pelos demais julgadores. Oe acórdão foi publicado no dia 4 de dezembro.

Leia também:  Preso arranca coração de colega de cela em penitenciária de SC

Continue Lendo

Newsletters

Receba as Notícias do Site direto em seu email! Cadastre-se gratuitamente:
Patrocinado
Patrocinado

Mais lidas da semana