Connect with us

Cibersegurança

Criminosos estão vendendo acesso a imagens íntimas de mais de 50 mil câmeras na Internet

Publicado

em

ESET analisa caso onde golpistas oferecem acesso a câmeras domésticas que foram comprometidas. Algumas imagens já circulam em sites para adultos
Quer receber notícias do G10News pelo whatsapp? Clique aqui
São Paulo, 27 de outubro de 2020 – Um grupo de cibercriminosos alegou ter comprometido mais de 50 mil câmeras de segurança doméstica e roubado imagens privadas de usuários. A ESET, empresa líder em detecção proativa de ameaças, analisou o caso em que alguns dos vídeos parecem vir de Cingapura. Usuários na Tailândia, Coreia do Sul e Canadá também podem ter sido vítimas dessa invasão de privacidade. Alguns vídeos – cuja duração varia de um a 20 minutos e mostram pessoas de diferentes idades em situações íntimas ou em nudez – foram enviados para sites de pornografia.

Os cibercriminosos anônimos afirmam ter compartilhado imagens roubadas com mais de 70 usuários que pagaram US﹩ 150 (o equivalente a R﹩ 838) para obter acesso vitalício ao material, de acordo com o The New Paper. Para dar credibilidade às suas afirmações, o grupo oferece uma amostra grátis contendo mais de 4 mil clipes e imagens em 700 MB de dados.

A gangue, cujo grupo tem quase mil membros, é especializada em comprometer câmeras de segurança. Eles também estão aparentemente dispostos a compartilhar o acesso a todas as câmeras sequestradas com outros membros.

“Por mais preocupante que possa parecer, este é um lembrete gritante de que, quando as câmeras estão conectadas à Internet, elas devem ser instaladas corretamente com a segurança em mente. Quando dispositivos inteligentes são instalados, pode acontecer de estarem localizados em casa, sem que ninguém tenha pensado anteriormente sobre a questão da privacidade”, disse o especialista em segurança da ESET Jake Moore.

“No entanto, espera-se que o incidente ajude as pessoas a tomar as devidas precauções de segurança ao configurar suas câmeras inteligentes”, acrescenta o especialista.

Leia também:  Orizon apresenta case na Conferência Gartner Segurança e Gestão de Risco 2019
Assim como acontece com outros dispositivos, as câmeras conectadas à Internet não são imunes às vulnerabilidades de segurança. Há alguns meses, foi alertado sobre a existência de 3,5 milhões de câmeras em todo o mundo que estavam suscetíveis de serem comprometidas por pessoas mal-intencionadas devido a uma série de falhas de segurança. No ano passado, os pesquisadores da ESET identificaram uma série de vulnerabilidades em uma câmera em nuvem D-Link que poderia ter permitido que invasores interceptassem o fluxo de vídeo.

O uso de senhas fracas pode ser a causa dos ataques. Os usuários podem ter mantido a sequência padrão que veio com o dispositivo de fábrica e não seria difícil para que alguém com más intenções a obtivesse. Também pode haver usuários que subestimaram a necessidade de uma senha ou de usar uma combinação longa e exclusiva para um dispositivo IoT “simples”.

“Seja qual for o caso, a segurança dos dispositivos IoT não deve ser subestimada, pois o uso de todos os tipos de dispositivos inteligentes tem implicações profundas para a segurança e privacidade. Para evitar dores de cabeça futuras, certifique-se de que todos os seus dispositivos IoT estejam com o firmware atualizado e os patches de segurança instalados. Ao escolher uma senha, tente evitar os erros mais comuns ao criar uma. Sempre que possível, proteja suas contas com duplo fator de autenticação. Se você está pensando em comprar um dispositivo conectado, escolha um fornecedor confiável que tenha um histórico comprovado de fabricação de dispositivos protegidos de maneira adequada e libere atualizações e patches regularmente durante seu ciclo de vida. Atualizar os sistemas e ter uma solução de segurança são passos essenciais para aproveitar a Internet com segurança”, comenta Camilo Gutiérrez Amaya, chefe do Laboratório de Pesquisa da ESET América Latina.

Leia também:  Orizon apresenta case na Conferência Gartner Segurança e Gestão de Risco 2019
Para te ajudar a ficar em casa

A ESET aderiu à campanha #FiqueEmCasa, oferecendo proteção para dispositivos e conteúdos que ajudam os usuários a aproveitar os dias em casa e garantir a segurança dos pequenos enquanto se divertem online em meio à pandemia.

No site, os usuários podem ter acesso a: ESET INTERNET SECURITY grátis por 3 meses para proteger todos os dispositivos domésticos, Guia de Teletrabalho, com práticas para trabalhar em casa sem riscos, Academia ESET, para acessar cursos online que auxiliam a tirar mais proveito da tecnologia e o DigiPais, para ler conselhos sobre como acompanhar e proteger crianças na web.

Para saber mais sobre segurança da informação, entre no portal de notícias da ESET: http://www.welivesecurity.com/br/

Sobre a ESET

Desde 1987, a ESET® desenvolve soluções de segurança que ajudam mais de 100 milhões de usuários a aproveitar a tecnologia com segurança. Seu portfólio de soluções oferece às empresas e consumidores de todo o mundo um equilíbrio perfeito entre desempenho e proteção proativa. A empresa possui uma rede global de vendas que abrange 180 países e possui escritórios em Bratislava, San Diego, Cingapura, Buenos Aires, Cidade do México e São Paulo. Para mais informações, visite www.eset.com/br ou siga-nos no LinkedInFacebook e Twitter .

Copyright © 1992 – 2020. Todos os direitos reservados. ESET e NOD32 são marcas registradas da ESET. Outros nomes e marcas são marcas registradas de suas respectivas empresas.
Continue Lendo
Patrocinado
Clique para comentar

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cibersegurança

Orizon apresenta case na Conferência Gartner Segurança e Gestão de Risco 2019

Publicado

em

Por

Quer receber notícias do G10News pelo whatsapp? Clique aqui
Evento reúne especialistas em cibersegurança e gerenciamento de dados
A segurança dos dados é uma preocupação essencial para todas as companhias nas mais diversas indústrias. Em um mundo hiperconectado, a implementação de protocolos rígidos é fundamental na proteção de dados sensíveis das corporações, clientes e parceiros. Foi com isso em mente que a Orizon, health tech focada em identificar desvios e eliminar desperdícios no setor de saúde, virou um case de sucesso no mercado com a implantação dos processos de Gestão de Identidade e Acessos – Identity Management (IDM) e Identity and Access Management (IAM). Essa experiência será apresentada durante a Conferência Gartner Segurança e Gestão de Risco 2019, que acontece nos dias 13 e 14 de agosto, no Sheraton São Paulo WTC Hotel, em São Paulo.

Com expectativa de reunir mais de 700 especialistas, o evento contará com dezenas de debates sobre o cenário de segurança digital e indicará como os líderes podem avançar em suas estratégias de proteção em uma era marcada pela expansão de soluções tecnológicas e desafios de compliance.

A Orizon participa do painel “Identidade como Serviços de CyberSecurity & Conformidade à LGPD” em conjunto com a NetBr e Gerdau. Os especialistas contarão suas experiências sobre a gestão da identidade, controle de risco e conformidade com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

Segundo Ricardo Zeviani, superintendente de Segurança da Informação na Orizon, a rapidez e eficiência da implantação das novas ferramentas chamaram a atenção do mercado. “A velocidade é algo que faz parte do DNA da Orizon. Sem deixar de lado, claro, a confiança, integralidade e a expectativa interna e externa”, conta o especialista. “Nesse caso não foi diferente. Buscamos parceiros para nos auxiliarem nessa nova fase e a experiência foi bem-sucedida”, complementa.

“A cada dia, 500 mil procedimentos são autorizados ou analisados pelos nossos sistemas. É fundamental, portanto, que tenhamos rígidos mecanismos voltados para a segurança da informação”, aponta Zeviani. “O momento exige que os líderes de TI, segurança e negócios busquem e desenvolvam novas habilidades para atender os requisitos de cibersegurança”, comenta.

Para o especialista, o convite para participar da Conferência Gartner Segurança e Gestão de Risco 2019 reforça o pioneirismo da Orizon quanto ao tema. “Além disso, será uma grande oportunidade para atualização sobre as principais tendências mundiais com diferentes palestras, mesas-redondas e painéis com renomados especialistas do Gartner e outras corporações”, conclui.

Sobre a Orizon
A Orizon é uma health tech com um propósito claro: levar mais saúde para mais pessoas. Para isso, emprega o talento de seu time e o estado da arte da tecnologia para valer-se da transformação digital na saúde e aplicar os conceitos de inteligência médica, analytics e automação, resultando em melhores decisões voltadas ao combate aos desperdícios e evitando riscos desnecessários aos pacientes. A cada dia, 500 mil procedimentos (desde um simples hemograma às cirurgias de alta complexidade) passam pelos sistemas que conectam cerca de um quarto dos beneficiários de planos de saúde no País a 140 mil prestadores, 43 operadoras e 11 mil farmácias. Essas conexões criaram o maior banco de dados transacionais da América Latina em saúde suplementar. A Orizon atua no mercado de saúde brasileiro há mais de 10 anos e está em plena transformação digital.

Continue Lendo

Newsletters

Receba as Notícias do Site direto em seu email! Cadastre-se gratuitamente:
Patrocinado
Patrocinado

Mais lidas da semana