Connect with us

Economia

Bolsa Família recebe R$ 300

Publicado

em

Foto: Prefeitura Municipal de Itaporanga--SE

O pagamento da 6ª parcela do auxílio emergencial para o pessoal do programa vai até o dia 30.

Mais de um milhão e 600 mil famílias já estão recebendo a sexta parcela do auxílio emergencial com valor reduzido de 300 reais.

Este pessoal pertence ao bolsa família e recebe de acordo com o calendário do programa. Nesta terça-feira recebe quem tem o final quatro, do nis, o número de identificação social. Na quarta recebe quem tem final cinco e assim por diante. O pagamento da primeira de quatro parcelas de 300 reais encerra no dia 30 deste mês pagando quem tem final zero do nis.

A próxima parcela está programada para cair no dia 19 do mês que vem. O pagamento da sexta parcela de 300 reais para o restante dos beneficiários do auxílio emergencial ainda não tem data para acontecer.

 

Continue Lendo
Patrocinado
Clique para comentar

Deixe seu Comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Caixa paga auxílio nesta quarta-feira (21)

Publicado

em

Por

Créditos: Agência Brasil

Será depositado nesta quarta-feira, dia 21 de outubro, uma nova parcela do auxílio emergencial dos aniversariantes de agosto.

 

São aproximadamente três milhões e 600 mil pessoas que fazem parte do ciclo três de pagamentos. Até a quinta parcela do auxílio, o valor é de 600 reais, da sexta em diante o valor é a metade, 300 reais. Com o dinheiro em conta só é possível realizar pagamentos digitais por meio do aplicativo caixa tem.

 

O saque desta parcela para os aniversariantes de agosto só será liberado no dia 28 de novembro.  Também nesta quarta, recebem a sétima parcela do auxílio emergencial o pessoal do bolsa família com final três do nis, o número de identificação social.  Os beneficiários do bolsa família estão recebendo o valor reduzido do benefício de 300 reais.

Quer receber notícias do G10News pelo whatsapp? Clique aqui

Continue Lendo

Brasil

‘H.Werner Perícias & Avaliações’: uma história construída pela dedicação aos clientes e gratidão aos parceiros do setor

Publicado

em

O perito e gemólogo Hugo Werner Flister fazendo uma avaliação – Foto: G.C

A ‘Manoel Bernardes’, uma das maiores redes de joalherias do pais, foi a porta de entrada do perito e gemólogo Hugo Werner Flister no setor:  “Sou grato pela oportunidade e parceria com os Bernardes que dura até hoje!”
[ Clique aqui e saiba mais ]

Chegar aos quase 40 anos de mercado, mantendo a mesma qualidade de atendimento não é para qualquer um, principalmente no setor de perícia e avaliação de pedras e metais preciosos que requer total atenção. Um bom exemplo disso está na ‘H.Werner Perícias & Avaliações’, que construiu a sua história através da dedicação aos clientes e gratidão aos parceiros, como exemplo, a cotada joalheria mineira ‘Manoel Bernardes’. De acordo com o perito e gemólogo Hugo Werner Flister (que faz parte da ASPEJUDI), ele foi influenciado a entrar no setor, graças a grande oportunidade na ‘Manoel Bernardes’. “Iniciei minha carreira profissional nesta empresa que é referência no mercado. Dentro da Manoel Bernardes aprendi muito da profissão e da conduta ética”. Confira o bate papo (abaixo) sobre essa incrível história de dedicação e gratidão.

Hugo Werner Flister, conte para os leitores: como você iniciou nesta profissão?

Foi no início dos anos de 1980, quando fui contratado por uma conceituada joalheria, como vendedor bilíngue (alemão).

– Como foi ter essa experiência?

Vejo como sorte ter vivido esta época, em que no Brasil o turismo era intenso, movimentando: hotéis, cidades históricas, todo comércio, como também, o das joias e gemas (pedras preciosas brasileiras) mundialmente conhecidas.

– O que te fez continuar na profissão?

Talvez o destino, mas, o mundo dourado e colorido do ouro e das pedras preciosas encantam as pessoas, eu acredito. Mas além do encantamento, fui influenciado pela boa experiência ao iniciar minha carreira profissional numa empresa que é referência neste mercado, a Manoel Bernardes, pois, no período que lá estive, fui privilegiado em conviver com qualificados profissionais que muito me ensinaram da profissão e de conduta ética.

Leia também:  Abertura do mercado de gás natural pode tornar energia mais barata e diminuir custos da indústria

– Por que a escolha pela área técnica?

Mesmo durante a experiência na área comercial, já visualizava a importância da gemologia em garantir a legitimidade e a qualidade dos materiais comercializados, e então, o foco passou a ser a área técnica. Com formação universitária, me especializei em diamantes, gemas (pedras coradas) e joias.

– Quando você se tornou parte da Perícia Técnica Oficial?

Sou Perito Judicial desde o ano de 1997, atuando no poder judiciário de Minas Gerais, como perito oficial Gemólogo em processos de variadas naturezas, como: execuções, espólios, penhoras, furtos, partilhas e etc.

– Você também faz Perícia Técnica Particular?

Atendemos um público variado, desde garimpeiros para analisar e certificar uma amostra encontrada, até grandes partilhas para herdeiros de famílias tradicionais, certificação de diamantes, pedras preciosas e joias. Tudo isso para particulares, empresas e profissionais do ramo joalheiro.

– Depois de todo esse tempo trabalhando no setor, qual conclusão você faz de tudo isso?

Agora, chegando aos 40 anos de atividades, com aprendizado diário, sou grato aos meus apoiadores, em especial aos que me iniciaram e ensinaram esta profissão.

■ Não perca mais tempo

Tem alguma joia ou pedra preciosa em casa? Então agende uma visita na “H.Werner Perícias & Avaliações”. O escritório está na Rua Pernambuco nº353 – Sala: 1005 – Bairro Funcionários – Belo Horizonte / Minas Gerais | esquina com Avenida Brasil. Os atendimentos são feitos através de agendamento pelos telefones: (31) 3273-2648 ou pelo: (31) 99907-5881 (clique aqui e fale direto no whastapp). E-mail: [email protected] .

Continue Lendo

Economia

Brasil é um dos dez países com maior número de trabalhadores que temem o desemprego

Publicado

em

Por

Crédito: Andrew Khoroshavin/Pixabay

O medo de perder o emprego nos próximos doze meses atinge seis em cada dez brasileiros, de acordo com pesquisa da Ipsos.

O levantamento, feito a pedido do Fórum Econômico Mundial, revela que o percentual é de 63 por cento e está acima da média mundial, de 54 por cento.

O resultado coloca o Brasil entre os dez países com a maior proporção de trabalhadores com receio de ficar sem suas atuais ocupações.

O primeiro lugar do ranking é da Rússia, onde 75 por cento temem perder o emprego.

Em seguida aparecem Espanha, Malásia, México, Peru, Chile, Polônia e Turquia.

De acordo com o G1, o Brasil ocupa a nona posição, empatado com a África do Sul.

Mas apesar do resultado, na pesquisa 79 por cento dos brasileiros disseram ter expectativa de requalificação profissional.

Na média global, o otimismo foi demonstrado por 67 por cento dos participantes.

O levantamento ouviu 12 mil trabalhadores, em 27 países.

Continue Lendo

Newsletters

Receba as Notícias do Site direto em seu email! Cadastre-se gratuitamente:
Patrocinado
Patrocinado

Mais lidas da semana