A Síria deve estar livre da presença militar estrangeira, a Rússia também deve sair se Damasco não precisar mais de sua ajuda – Putin

0
180
Instrutores russos treinam soldados e milícias do exército sírio. © Sputnik / Mikhail Voskresenskiy
A integridade territorial da Síria deve ser totalmente restaurada e todas as forças estrangeiras devem se retirar, incluindo a Rússia, se Damasco decidir que não precisa mais da ajuda de Moscou, segundo o presidente Vladimir Putin.

“Todas as forças desdobradas ilegitimamente dentro de qualquer Estado soberano – neste caso a Síria – devem sair”, disse Putin em entrevista conjunta com a RT Arabic, a Sky News Arabia dos Emirados Árabes Unidos e as emissoras Al-Arabiya da Arábia Saudita.

Isso é verdade para todos. Se o novo governo legítimo da Síria optar por dizer que não precisa mais da presença militar da Rússia, isso será verdade para a Rússia.

Enquanto isso, a posição de Moscou sobre o acordo na Síria permanece inalterada e já foi transmitida aos seus parceiros Irã, Turquia e EUA, observou o presidente. “A Síria deve estar livre da presença militar de outros estados. E a integridade territorial da República Árabe da Síria deve ser completamente restaurada. ”

No início deste mês, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou a retirada das tropas dos EUA das áreas de fronteira no nordeste da Síria, dizendo que era hora de “sair de ridículas guerras intermináveis”.

Diferentemente das forças armadas russas, que chegaram ao país a convite do governo em Damasco, as forças americanas estão na Síria ilegalmente desde 2016. O governo sírio criticou repetidamente a presença militar americana como uma violação de sua soberania.

Putin também foi questionado sobre a atitude de Moscou em relação à expansão e formação da OTAN para o leste, perto das fronteiras russas.

“Não estamos felizes com isso … e expressamos nossas preocupações”  , respondeu ele.

Afirma que a Rússia  “não tem nada a temer”  e que a OTAN  “não tem intenções beligerantes”  não deve ser tomada como certa enquanto  “o Tratado do Atlântico Norte permanecer em vigor, em particular o Artigo Cinco … que garante apoio militar a outros membros.”

Durante a entrevista, o líder russo denunciou ataques a petroleiros no Golfo Pérsico, independentemente de quem estivesse por trás deles. Ele também pediu aos vizinhos do Irã que “respeitem” os interesses de Teerã como um país que “existe em seu território há milhares de anos” e elogiou o crescente nível de cooperação da Rússia com a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos no formato OPEC + e nível bilateral.

//RT

Acha que seus amigos estariam interessados? Compartilhe esta história!

Deixe seu Comentário! Comentários de leitores ou artigos assinados são de responsabilidade de seus autores e não expressam a opinião do G10News