Bolsonaro assina acordo que permite que os EUA lancem satélites em Alcântara

0
130
© Foto : Divulgação/MD

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro assinou um acordo nesta segunda-feira para abrir uma base para o lançamento de satélites aos EUA, enquanto apelava por relações calorosas com Donald Trump em uma visita a Washington.

O líder conservador, que se encontrará com Trump na Casa Branca nesta terça-feira, tem afinidades ideológicas com o líder dos EUA e quebrou o precedente brasileiro dirigindo-se a Washington, e não à Argentina, para sua primeira viagem oficial ao exterior.

Promovendo uma abordagem favorável às empresas depois de mais de uma década de presidentes socialistas, Bolsonaro assinou um acordo com empresas americanas sobre salvaguardas técnicas para permitir lançamentos de satélites comerciais da base de Alcântara, no estado do Maranhão.

“Devemos agradecer a Deus pela recente mudança de ideologia no Brasil”, afirmou Bolsonaro na Câmara de Comércio dos EUA. “Queremos ter um ótimo Brasil, assim como Trump quer tornar a América ótima”.

Leia também:  O próprio Exército disse que “malucos” apoiam a intervenção militar no Brasil

Alcântara é um local ideal, uma vez que fica perto do Equador, diminuindo as necessidades de combustível em 30%. O Brasil espera que a base leve uma fatia do mercado de lançamento multibilionário ao concorrer com o centro espacial Kourou, na Guiana Francesa.

Mas o acordo precisa da aprovação do Congresso brasileiro, que bloqueou um acordo similar do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, alegando que o país perderia a soberania para os Estados Unidos.

O ministro brasileiro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, que foi o primeiro astronauta do país, comparou o status proposto de Alcântara a um hotel.

“Imagine que você trouxe a tecnologia para o seu quarto. Você tem a chave e eu, o dono do hotel, posso entrar, se necessário”, declarou.

As aspirações do Brasil para Alcântara foram prejudicadas por uma explosão em 2003, na qual 21 técnicos foram mortos.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou um acordo para a Ucrânia lançar equipamentos da base, mas o acerto foi encerrado, com o Brasil citando os desenvolvimentos econômicos e tecnológicos.

Bolsonaro – cujos laços estreitos com os interesses comerciais e agrícolas têm assustado os ambientalistas – disse que esperava investimentos dos EUA além da base espacial.

“Em diferentes áreas, minerais, agricultura, biodiversidade – temos imensa biodiversidade na Amazônia – gostaríamos muito de ter uma parceria com esse país que eu admiro”, afirmou sobre os Estados Unidos.

Bolsonaro disse que também falaria com Trump sobre sua campanha conjunta para derrubar o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.

“Não podemos deixá-los do jeito que estão. Temos que libertar a nação da Venezuela. É por isso que contamos com os Estados Unidos para alcançar esse objetivo”, completou.

Leia também:  Material radioativo libertado do corpo de um paciente contaminou uma funerária nos EUA

Sputnik

 

Mais Notícias

Nos anos 1990, o presidenciável Jair Bolsonaro def... Bolsonaro lidera as pesquisas de intenção de voto para a Presidência nos cenários sem Lula, que está preso. (Foto: Divulgação) Líder das intenções de...
O governo do Estado suspendeu as aulas da rede púb... As aulas serão recuperadas oportunamente, informa secretaria. (Foto: Banco de Dados) A Seduc (Secretaria Estadual de Educação) informa que está orien...
Museus brasileiros aparecem em lista dos 100 mais ... Estão os CCBBs do Rio, SP e BH e Instituto Tomie Othake Museus brasileiros foram incluídos no ranking dos mais visitados do mundo em 2018, divulgado ...
Mercadorias falsificadas apreendidas no Rio deverã... As mercadorias  falsificadas ou contrabandeadas que forem apreendidas em operações da Polícia Civil deverão ser destruídos dentro de, no máximo, 60 di...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui